Os Mestres que passaram e marcaram minha vida.

Maria Amélia Pereira (Péo)
Nasceu em Salvador, Bahia, Brasil, 1942. Pedagoga, formada em 1987 em Cinesiologia e trabalha desde essa época na área). Orientadora Pedagógica da Escola Vera Cruz, em São Paulo (de 1965 a 1976 e de 1982 a 1986); fundadora e orientadora pedagógica do Centro de Estudos da Casa Redonda, em Carapicuíba, São Paulo (desde 1985); coordenadora do Programa do Núcleo Experimental de Atividades Culturais da Prefeitura Municipal de Salvador (de 1979 a 1982); assessora pedagógica da Unidade de Tratamento de Paralisia Cerebral do SARAH – Instituto Nacional de Medicina do Aparelho Locomotor (1978/79). Membro do Conselho Internacional do IPA – International Playing Association for the Child’s Right to Play (de 1990 a 1999).

Lydia Hortélio
Nasceu em Salvador (BA), em 1932. Passou a infância em Serrinha, no sertão baiano. Formação em Música: piano, educação musical e etnomusicologia. Estudos no Brasil, Alemanha, Portugal e Suíça. Dedica-se ao ensino e à pesquisa da música brasileira e da cultura infantil. Tem participado de vários projetos de educação, buscando favorecer a inteireza e o movimento da criança, dentro do seguinte espectro: música, cultura infantil, identidade cultural e educação. Tem realizado cursos, oficinas, palestras e exposições no Brasil e no exterior.

Lucilene Silva
Formada em canto popular pela Universidade Livre de Música, atua como professora de música, desenvolvendo um trabalho pautado no repertório da música e brincadeiras tradicionais da cultura infantil. Desenvolve um projeto de implantação do Centro de Cultura Infantil da Aldeia de Carapicuíba, juntamente com o Instituto C&A, onde vem realizando pesquisa e documentação dos brinquedos e brincadeiras tradicionais da cultura infantil da comunidade da Aldeia de Carapicuíba, buscando abrir espaços nas escolas e creches da comunidade para o brincar, a música da infância e o refletir sobre a importância dos mesmos.

Adelson Murta
Formado em Artes Plásticas pela UFMG, vem desenvolvendo trabalhos de observação e valorização da cultura da criança. Fez parte da Casa das 5 Pedrinhas, onde desenvolveu, em parceria com a professora Lydia Hortélio, cursos, oficinas, palestras e exposições sobre o brincar em diversos Estados do Brasil e nas cidades de Kassel, Furt e Nuremberg, na Alemanha. Entre 1986 e 2003, viajou pelo interior de Minas Gerais, pesquisando brinquedos e divulgando a cultura infantil. Trabalhou com crianças em escolas formais, alternativas, rurais e especiais; com meninos de rua, em Belo Horizonte e Salvador. É autor do livro Barangandão Arco Íris – 36 Brinquedos Inventados por Meninos.

Chico dos Bonecos
Chico é poeta e arte-educador que trabalha desde o início da década de 80 com o resgate de brinquedos e brincadeiras antigas, incluídas nessa categoria de brinquedos aqueles invisíveis, como histórias, contos, lendas e fábulas vindas da literatura oral. Sua matéria-prima de trabalho parece ser a impalpável riqueza da oralidade brasileira mesclada com o humor e o resgate da vontade de brincar. Ele escreve, lê, relê e conta histórias não apenas para a criança, nem para o adulto, mas para a Infância, e, dessa forma, consegue a proeza de puxar “o fio de uma arte intergeracional – um verdadeiro cruzaréu de vozes, onde crianças e adultos e velhos e jovens se encontram e se enlaçam e se encantam”.

1 comentários:

silvia disse...

gostaria de ter o numero de telefone de contato para que eu possa tirar minhas dúvidas para um trabalho de mesa de aniversário infantil.

Meu email
srzanete@terra.com.br
Silvia